Parnamirim recebe o ‘Ronda cidadã’

0
1

Mesmo ainda sem data de lançamento, a Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesed) já definiu a  próxima localidade a receber o Programa ‘Ronda Cidadã’. Será a cidade de Parnamirim, que integra as Áreas Integradas de Segurança Pública (AISP’s) 16 e 17. Na  cidade, a segunda da Região Metropolitana com o maior número de homicídios registrados no primeiro semestre deste ano – 73 casos -, serão destacados 122 policiais do 3º Batalhão de Polícia Militar (BPM). Eles atuarão, em consonância com policiais civis, exclusivamente nas ações desenvolvidas na metodologia de policiamento de proximidade, preconizada pelo Ronda Cidadã, lançado há 15 dias em três bairros da zona Leste de Natal. Sobre a nova fase do Ronda Cidadã, a Sesed poupou  divulgar detalhes.

Entretanto, todo o trabalho relativo ao levantamento de efetivo, viaturas  e investimentos, estão em fase de conclusão pela Sesed. “Nós já temos o Programa desenhado para outras áreas, mas não podemos detalhar”, confirmou o coordenador de Programas da Sesed para a Cidadania, capitão PM Rodrigo Couceiro. Ele não definiu a data de início das atividades em Parnamirim, nem apontou quais outros bairros de Natal receberão bases do ‘Ronda Cidadã’ ainda este ano.

Ele limitou-se a comentar que o Programa não será expandido pelas zonas Norte ou Oeste de Natal, as mais violentas da capital potiguar, pois elas foram contempladas com investimentos do Programa do Governo Federal ‘Crack, é possível vencer’. Este financia a atuação das Polícias Civil e Militar no combate ao tráfico e consumo de drogas em regiões de vulnerabilidade social identificadas pelo Observatório das Metrópoles, ligado ao Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT).

Sabe-se, porém, que o efetivo que irá atuar no ‘Ronda Cidadã’ em Parnamirim é similar ao que desempenha as atividades hoje em Areia Preta, Mãe Luiza e Petrópolis – 112 homens divididos em policiamento proativo e reativo. O coronel do 3º Batalhão da Polícia Militar em Parnamirim, Jair Júnior, foi procurado para comentar a disponibilidade do efetivo que atua no município, mas não foi localizado. Numa audiência pública realizada na Câmara Municipal de Parnamirim   em abril passado, o comandante-geral da PM, coronel Ângelo Azevedo, destacou que o aumento do efetivo da corporação no município era um desafio, em decorrência da impossibilidade de realização de concurso público.

A titular da Sesed, Kalina Leite, no lançamento do Programa Ronda Cidadã há exatos quinze dias, ressaltou que o Programa só seria implementado em outras localidades após a efetivação do projeto piloto nos bairros de Mãe Luiza, Areia Preta e Petrópolis. Passadas quase três semanas, porém, a Sesed ainda não dispõe de dados estatísticos relativos ao desempenho das ações nos três bairros citados. Em Mãe Luiza, a população se divide quando questionada sobre as mudanças iniciais proporcionadas pela suposta presença constante de policiais militares no bairro.

Avaliação
Sobre os primeiros 15 dias do Programa, completados hoje, o capitão Rodrigo Couceiro ressaltou que o comportamento dos policiais militares destacados para o Programa ‘Ronda Cidadã’, assim como os moradores de bairros como Mãe Luiza, tem mudado positivamente. “A gente tem notado uma mudança de paradigma na atuação dos policiais, que não tem mais somente o foco de prender. Estamos desvinculando a imagem repressora da Polícia Militar”, frisou. O capitão Fábio Sandrine, responsável pela Companhia da Polícia Militar que atua em Mãe Luiza, também foi procurado para comentar as ações desenvolvidas desde o fim de julho, mas não foi localizado no bairro, nem por telefone.

Mesmo com o reforço no policiamento, os casos de assaltos não deixaram de ocorrer. Na manhã do domingo passado, num dos pontos mais movimentados e com policiamento ostensivo além do ‘Ronda Cidadã’, uma das filhas da vereadora Eleika Bezerra foi assaltada na calçada do prédio no qual mora em Areia Preta. Grávida de três meses, a mulher teve a corrente roubada por um homem. Ele, além de subtrair a joia da vítima, a empurrou no chão. Nada de mais grave ocorreu. No plenário da Câmara Municipal, ontem, a vereadora Eleika Bezerra disse: “O susto foi muito grande. Graças a Deus ela está bem, mas a violência assusta a todos nós”.

 

Ricardo Araújo/TribunadoNorte/05/08/2015

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui