Vereadores solicitam ações de combate ao mosquito aedes aegypti

Os casos de microcefalia e outras doenças que podem ser relacionadas ao mosquito Aedes aegypti foram tema debatido na Câmara Municipal de Parnamirim (CMP), durante sessão ordinária realizada na noite de ontem (7). Preocupados com os possíveis casos no município, os vereadores querem que a secretaria Municipal de Saúde (Sesad) implante, urgentemente, ações preventivas e de combate ao mosquito.

O tema foi pautada pela vice-presidente da CMP, vereadora Kátia Pires (DEM). Através da Indicação nº 769/2015, a parlamentar solicita a realização de um mutirão de limpeza, uso de carro fumacê e palestras explicativas para gestantes.  “Essa indicação se faz necessária pois os efeitos do vírus Zika, transmitido pelo Aedes aegypti, estão se mostrando devastadores. É preciso orientar e proteger nossa população”, colocou a vereadora.

Em pronunciamento, o vereador Gildásio Figueiredo (PSDB) demonstrou preocupação com o assunto. “É preciso saber quais os mecanismos a secretaria de Saúde do Município tem a disposição para realizar um trabalho de prevenção”, disse. O vereador contou ainda que o Poder Legislativo pode ajudar. “Acho que todos os vereadores podem contribuir fazendo uma campanha educativa nos bairros”, explicou.

Já o vereador Clênio José (PV) acrescentou que, além das campanhas educativas e ações contra o inseto, a Sesad deve oferecer exames às gestantes. “Tem que ajudar os menos favorecidos. A secretaria precisa disponibilizar exames de ultrassonografia, bem como o pré-natal para as gestantes”, afirmou.

Números

Hoje (8), o Ministério da Saúde (MS) divulgou novos números sobre a microcefalia. Até 5 de dezembro, foram registrados 1.761 casos suspeitos da doença, em 422 municípios de 14 unidades da federação.

Neste período, o estado de Pernambuco registrou o maior número de casos (804). Em seguida estão os estados de Paraíba (316), Bahia (180), Rio Grande do Norte (106), Sergipe (96), Alagoas (81), Ceará (40), Maranhão (37), Piauí (36), Tocantins (29), Rio de Janeiro (23), Mato Grosso do Sul (9), Goiás (3) e Distrito Federal (1).

Entre o total de casos, foram notificados 19 óbitos, nos estados do Rio Grande do Norte (7), Sergipe (4), Rio de Janeiro (2), Maranhão (1), Bahia (2), Ceará (1), Paraíba (1) e Piauí (1). As mortes foram de bebês com microcefalia, e suspeita de infecção pelo vírus Zika. Os casos ainda estão em investigação para confirmar a causa dos óbitos.

prefeitura_parnamirim_top
Compartilhar

Deixe uma resposta