Saiba porque risada falsa não engana ninguém

Tome cuidado! Aquela risadinha que você dá depois de uma piada sem graça apenas para não decepcionar o outro pode ser facilmente descoberta! Veja só!

Todo mundo já riu só para ser educado, como aquela vez em que seu chefe contou uma piada idiota. Mas, se o seu objetivo for não demonstrar que você não achou a piada engraçada, esqueça o riso falso — a maioria das pessoas pode dizer que ele não é real.

Pesquisadores de comunicação vocal da Universidade da Califórnia em Los Angeles queriam saber quão bem as pessoas podiam diferenciar uma risada falsa de uma verdadeira e descobriram que em 70% das vezes reconheceu-se a diferença.

Segundo o principal autor do estudo, Greg Bryant, isso acontece porque o riso falso é produzido com um conjunto diferente de músculos vocais do que o verdadeiro, e esses músculos são controlados por uma parte diferente do nosso cérebro.

O “riso sem emoção”

A risada em seres humanos provavelmente evoluiu de vocalizações em nossos ancestrais primatas. Temos uma certeza razoável disso porque podemos observar comportamentos vocais relacionados em muitas espécies primatas hoje, assim como em animais como ratos e cães.

O resultado final é que há características sutis do riso humano que soam como “discurso”, e evidências recentes sugerem que as pessoas são inconscientemente bastante sensíveis a elas.

“Por exemplo, se você diminuir o ritmo do riso ‘real’ cerca de duas vezes e meia, o resultado é estranhamente animalesco. Soa como um macaco e, ao mesmo tempo em que é difícil de identificar, definitivamente percebemos isso. Mas quando você desacelera o riso ‘falso’, não soa como uma risada animal diminuindo, mas sim como fala humana diminuindo”, explica Bryant.

O riso genuíno é menos deliberado. Como os humanos aprendem a rir antes mesmo de aprenderem a falar, é uma coisa instintiva. O riso real é desencadeado por emoção. A fala é algo mais controlado, bem como o riso sem um verdadeiro gatilho emocional, e é por isso que nós o identificamos com certa facilidade.

Fonte: HypeScience

Comentários

Compartilhar

Deixe uma resposta