Teorias da conspiração bizarras sobre o Sistema Solar

0
1

Os ingredientes para formar uma boa teoria da consipiração não apenas são bastante banais, como também é incrivelmente comum que se encontrem em um mesmo indivíduo — que frequentemente vira um grupo de indivíduos mais rápido do que alguém berraria “Elvis não morreu!”. Afinal, basta ter uma dose razoável de desinformação, alguma mania de perseguição e um intelecto facilmente excitável.

Sendo os limites do Sistema Solar a primeira fronteira apenas imaginada pelos mortais, é natural que boa parte desses teóricos concentrem seus esforços em oferecer resposta a questões de inadiável urgência: há realmente homenzinhos verdes em algum planeta vizinho? O homem realmente pisou na superfície da Lua em 1969? Será mesmo que a Terra gira em torno do Sol, e não o contrário?

É claro que questionar o papel dos governos e suas forças secretas na atual exploração e utilização do Sistema Solar acabou se tornando algo ordinário ao longo dos anos (ou será que o Mega Curioso, na verdade, está mancumunado com a União Europeia e com o McDonalds para dispersar o trabalho árduo dos teoristas?). Entretanto, mesmo nesses temas batidos a criatividade humana ainda consegue imaginar conspirações de derrubar o queixo.

Duvida? Então confira abaixo. Nas 10 teorias da conspiração mais bizarras sobre o Sistema Solar listadas pelo site ListVerse, há de um tudo — das viagens no tempo de Barack Obama ao temido Projeto Lúcifer e daí até as teorias de aproximação planetária de Immanuel Velikovsky. Só tente não escorregar em nenhuma delas.

Mudanças climáticas interplanetárias

É verdade que o aquecimento global ainda divide teóricos pelo globo. Em diversos pontos do espectro, cientistas, políticos e ativistas ainda tentam (acredita-se) chegar a um consenso sobre o porquê das alterações climáticas na Terra — o que tanto é defendido como algo natural como quanto um fruto direto da ação do homem sobre o planeta, incluindo ainda um grupo que nega, seja como for, que tal aquecimento realmente ocorra.

Mas há ainda um terceiro apanhado de teoristas. Segundo estes, sim, há alterações climáticas mensuráveis ocorrendo, mas isso não vale apenas para a Terra. Proponentes dessa teoria afirmam que alterações semelhantes podem ser observadas em diversos planetas do nosso sistema, incluindo Marte, Júpiter e também o distante (e controverso) Plutão. O porquê desse aquecimento sistêmico, entretanto… Aí já é assunto para uma outra teoria.

O homem chegou á Lua… Mas a filmagem é falsa!

A maior parte das teorias da conspiração associadas à primeira chegada do homem à Lua, em 1969, normalmente tem seu foco em provar que, afinal, ninguém chegou a pisar lá coisa alguma; tudo foi uma grande farsa concebida pelo alto escalão político dos EUA e executado em algum estúdio de Hollywood. E aí que normalmente se questiona a iluminação da filmagem, os movimentos da bandeira estadunidense, as pegadas deixadas sobre o satélite etc.

Mas há um grupo que diz que, sim, Neil Armstrong, Edwin “Buzz” Aldrin e Michael Collins de fato fizeram aquela famosa viagem — apenas a filmagem seria falsa. Os defensores dessa curiosa teoria da conspiração afirmam que o governo estadunidense teria optado por uma gravação mais profissional da aterrissagem, executada em estúdio, a fim de intensificar a propaganda em torno do feito.

E há também quem diga que a filmagem original foi destruída por conta da natureza do que os astronautas encontraram ao chegar — alienígenas, normalmente, embora um enorme monólito negro também pareça válido. Isso teria tornado necessária uma filmagem destituída de “seja-lá-o-que-for”… Algo que pudesse passar na TV e tal.

Por que o Hubble não tira fotos da Lua?

Aproveitando o tema da teoria conspiratória anterior, aí vai mais uma que ganhou fôlego nos últimos anos. Eis o raciocínio: há quase meio século aparecem pessoas questionando a chegada da Apollo 11 à Lua; por que a NASA simplesmente não bate umas fotos da superfície lunar utilizando o telescópio Hubble, a fim de mostrar os sinais deixados no local por Neil Armstrong e Cia. e dar fim às especulações de uma vez por todas? Se a agência espacial americana não o faz, certamente é porque esconde algo, certo?

Ok, essa até tem alguma elegância, mas há um pequeno inconveniente: o Hubble não seria particularmente útil para essa tarefa de turista asiático honorário. Conforme explicou o astrônomo Phil Plait em seu blog pessoal, o poderoso telescópio da NASA foi projetado para capturar imagens muito mais distantes, tendo sua resolução de acordo com esse propósito.

Caso fotografasse o ponto de aterrissagem do módulo espacial — ou até mesmo algo do tamanho de um campo de futebol —, o resultado provavelmente seria apenas um ponto indistinguível de outros ao redor. Além disso, ele também acrescente que, mesmo se fosse possível, isso não pararia os teóricos da conspiração, já que os dados teriam sido fornecidos pelo próprio governo. Pois é, é difícil escapar dessa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui