Em pé, mulheres são vítimas fáceis de assédio dentro dos ônibus

0
1

Resguardar as usuárias do sistema público de assédios dentro dos ônibus, com o incentivo da cortesia e do cavalheirismo por parte dos homens deveria ser um dos objetos de nossas autoridades. É triste uma mulher estar no ônibus e acabar sendo constrangida, encoxada. Tem homens que se aproveitam dessa situação. É uma questão mesmo de cultura, de cavalheirismo. A cortesia de um homem se levantar e oferecer o assento para uma mulher.

O problema é comum e é importante ressaltar que, além de a mulher ficar vulnerável, idosos e gestantes são outros que sofrem com a falta de sensibilidade dos outros usuários. Houve um caso de uma idosa de 78 anos, que entrou no ônibus e os assentos estavam ocupados. Quando o motorista freou, ela bateu a cabeça e levou 11 pontos. Às vezes, a grávida fica em pé, sendo empurrada, segurando a barriga.

O número limitado de assentos reservados prejudica mais do que ajuda, pois a maioria das pessoas não se sente na obrigação de levantar quando estes estão ocupados. Se há lugares de cores diferentes, como amarelos e vermelhos, os assentos comuns (cinzas) não são cedidos. Só costuma ter quatro assentos reservados por veículo.

Via Certa Natal

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui